Brasileiro garante vaga no PSPC Bahams 2023 por apenas US$ 1.50

Que jogador profissional de poker nunca entrou em tilt ao cair de um torneio ou ao perder para um recreativo!? Se você está aqui, é porque, com certeza, joga poker e já se deparou com ao menos um momento na profissão em que isso aconteceu. Ou você está começando agora e já quer estar preparado. Parabéns, pois essa hora vai chegar e não estou jogando praga!

Quando o tilt ocorre, significa que, por algum motivo, você não está jogando bem. Isso não quer dizer que você tenha problemas quanto à técnica, embora possa ser necessário algum ajuste para você melhorar as habilidades e, consequentemente, o desempenho nas mesas. Entretanto, geralmente, o tilt tem relação com outras questões. Mesmo que você seja um profissional de poker experiente, alguma inabilidade emocional diante das mesas pode te levar a entrar em tilt. Vamos concordar que todas as pessoas têm questões emocionais a serem trabalhadas, ok?

Ou seja, o tilt tem origem em algo que você ainda não consegue lidar mentalmente. Análises inadequadas, decisões erradas e o próprio tilt são consequências e não causas. Na grande maioria das vezes, ele não começa no momento em que acontece, mas sim antes. As emoções vão se acumulando no dia a dia, diante das situações que você não consegue lidar, até explodir.

Eu gosto de comparar o tilt a um copo com água. Esse copo nunca fica completamente vazio, porque é impossível. Diariamente, somos expostos a diversas situações, umas fáceis e outras difíceis. O copo vai enchendo. Através de estratégias de gerenciamento e da nossa capacidade de resolução de problemas e de resiliência, conseguimos eliminar um pouco de água. Mas, logo vêm outras questões e o copo volta a encher. Se ainda não temos as habilidades mentais e emocionais estabelecidas e não conseguimos resolver a causa do problema, uma hora o copo vai transbordar.

E é assim que você irá tiltar. Por isso, são tão importantes o autoconhecimento e o aperfeiçoamento constantes. Só a técnica não vai livrar você do tilt. Jogadores profissionais excelentes têm prejuízos enormes quando não consideram o emocional e o psicológico no seu processo de desenvolvimento.

Quando falamos em tilt, nos referimos a um estado mental em que o jogador não é mais capaz de tomar decisões racionais e age emocionalmente, com impulsividade. A emoção mais comum é a raiva, mas você pode sentir tristeza, frustração, desmotivação, entre outros sentimentos. Em alguns momentos, eles podem ser motivadores, pois impulsionam você a agir em busca de soluções. Porém, em outras circunstâncias, podem levar a problemas, caso você não consiga resolver o conflito.

A raiva – ou qualquer outro sentimento – não é a causa, mas sim o sintoma. Portanto, é imprescindível identificar e resolver o que causou a raiva. Ou seja, identificar porque você está jogando mal. Podem haver dezenas de causas para isso e a solução para cada uma exigirá uma estratégia única. Após resolver o problema de tilt, você pode tiltar novamente, no futuro, em decorrência de uma causa diferente.

Aqui vai um adendo: as emoções são saudáveis e importantes para a nossa sobrevivência. Elas são indicadores de quando algo não vai bem, sinalizando que aspecto precisamos direcionar nossa atenção e empreender mudanças. Não há técnicas para evitar ou bloquear os sentimentos nas mesas, como a ansiedade ou a raiva, por exemplo. Mas, é possível aprender a manter o rendimento mesmo estando ansioso ou irritado.

Vamos discutir algumas estratégias para resolver seu tilt?

  1. Identifique o tilt

Antes de qualquer coisa, é preciso entender o que causou o tilt e quais as características que você percebe quando está tiltado. Reflita e avalie sobre o que você sente e como se comporta. Você pode tiltar devido à variância, ao excesso de confiança depois de ganhar muito dinheiro (sim, você também pode entrar em tilt quando ganha!), depois de cometer erros, por sentimentos de desespero, injustiça, desejo de vingança, por odiar perder ou por acreditar que tem o direito de ganhar porque você é melhor do que os demais jogadores.

  1. Perceba-se

Como o seu corpo reage? Observe que reações físicas você sente: taquicardia, sudorese, tremores, dor de barriga ou de cabeça, entre outros. Observe em que momento o tilt começa a afetar seu pensamento. Como já falamos, as emoções dominam a razão. No tilt acumulado, a raiva se acumula ao longo do tempo e, portanto, não é resultado de apenas uma sessão, mas sim de sessões prolongadas com variância ruim. As emoções se sobrepõem à razão e dominam a sua capacidade de manter o “controle” emocional. Com a razão adormecida, fica difícil jogar seu A game e os impactos negativos tendem a aumentar e prejudicar ainda mais o seu desempenho.

  1. Desenvolva estratégias de enfretamento

Reconheça seu padrão de tilt e fique atento aos sinais. Você tende a ter reações parecidas todas as vezes em que acontece e, assim, você pode se antecipar a ele. Mantenha uma preparação pré-grind, estabeleça e siga uma rotina adequada para você (e não para o jogador fulano de tal!), estude, faça reviews, faça pausas ou tire alguns dias de folga, se necessário, durma bem e faça exercícios físicos. Nas mesas, você pode, também, fazer exercícios de respiração e relaxamento, tomar um copo de água, “controlar” os pensamentos (pensar positivamente), apertar uma bolinha, ouvir música, entre outras, quando sentir que o caldo está engrossando.

  1. Solucione o problema de tilt fora das mesas

A essa altura, você já percebeu que não dá pra resolver o tilt nas mesas. Quando estiver grindando, só é possível manejá-lo a partir de estratégias, como falamos no tópico anterior. É fora das mesas que você vai buscar a solução para o seu tilt, avaliando a causa e buscando ajuda profissional, se necessário. Apesar do tilt ser resultado de uma inabilidade emocional, você pode aprender como superá-la e crescer pessoal e profissionalmente.

Não tenha medo de encarar o problema de frente. Se você não direcionar seu foco para o entendimento e a solução, ele vai tomar proporções ainda maiores e trazer mais danos, além de ficar mais difícil e trabalhoso de resolver.

Confira o episódio #12 do Poker de Boteco:

Author: admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.