Elvis Renan revela blefe gigante com K high

Um dos destaques do poker online brasileiro no último ano foi o mineiro Carlos Ribeiro, popularmente conhecido pelo seu nick “Carlos levis”. O jogador da cidade de Formiga incomodou a concorrência no online com ótimos resultados, finalizando o ano como o melhor de sua carreira. Ele é um dos bons nomes presentes no KSOP Fortaleza.

No último dia do ano passado, Carlos abriu os números do SharkScope dos últimos seis anos da carreira. Em 2021, ele conseguiu o maior lucro com US$ 146.029, mas em contrapartida foi o ano que ele menos jogou em questão de volume com 2.492 jogos. Para ter ideia, o que tinha menos na lista era 4.248, uma diferença significativa. O mineiro explicou os motivos.

LEIA MAIS: Poker de Boteco: Lauriê Tournier fala sobre o passado, vida na Twitch e big hit no WCOOP: “me emociono”

“2021 foi um ano bem atípico pra mim. Eu comecei o ano e tive muita mudança na minha vida pessoal que fez eu diminuir o ritmo de grind e de estudo. Porém, eu comecei o ano muito bem. A arrancada que eu tive no início do ano deu uma folga para que eu pudesse ter ido mal no resto do ano, mas mesmo assim tivesse um ano bom”.

No entanto, ele não ficou totalmente satisfeito com o processo como um todo. “Foi o melhor ano de termos de resultado, mas em termos de volume e de trabalho não foi dos melhores por causa dessa questão pessoal”, diz Carlos.

A ideia para este ano é equilibrar esses dois lados. “Em 2022 eu espero ter um ano mais linear, ao longo do ano ter mais volume de jogo, mais consistência nos estudos. Já comecei assim, fiz um janeiro bem bom de volume. O que eu espero para esse ano é isso, mais consistência”, completa.

LEIA MAIS: “Que Jogo É Esse?”: Campeão do Freeroll, Peterson Machado faz autocrítica em jogada feita na mesa final: “foi horrível”

O buy-in médio no ano passado foi o maior da carreira: US$ 189. Carlos respondeu como foi invadir o cenário high stakes. “Algumas vezes eu já tinha subido os buy-ins, mas não tinha me mantido lá. Em 2021 foi a primeira vez que eu subi e consegui me manter ali no ABI de mid e high stakes e consegui bater, posso dizer que eu bati. Tive muitos resultados, números bem consistentes nesse limite”, comenta o craque.

“Esse ano eu não comecei tão alto, abaixei um pouco, mas não espero ter oscilação demais na questão de limites. Daqui a pouco nós estaremos dando uma apertadinha nos high stakes também”, acrescenta.

Figurinha carimbada nas etapas do KSOP, Ribeiro é um dos nomes que está presente na etapa de Fortaleza. Curiosamente, alguns minutos antes da entrevista, ele foi eliminado na reta final do Progressivo Knockout. Apesar de gostar, o profissional não prevê rodar o circuito de torneios ao vivo – contando outros eventos – com tanta frequência.

LEIA MAIS: Na reta final do Progressive KO do KSOP Fortaleza, Peterson Machado e Gabriel Schroeder splitam pote em all in sêxtuplo impressionante; confira

“Eu pretendo esse ano jogar poucos lives. Não vai ser muito não. Eu gosto, pretendo aproveitar as etapas que têm um turismo, um lugar legal para conhecer. Querendo ou não, o live quebra muito a rotina da gente. Então eu vou escolher os melhores, umas cinco etapas no ano pra mim”, revela.

Por fim, Ribeiro também falou sobre o CL Poker Team, time criado por ele que está em pleno crescimento. A expectativa para 2022 é das melhores possíveis.

“O time cresceu muito de 2020 para cá. Estamos com 32 jogadores. O ano de 2021 foi um ano bom, o ano que o time teve os maiores resultados. Muitos jogadores saíram de low para mid stakes, foi um ano de muito crescimento para o time. A gente foi nos dois lives que teve, conseguimos levar uma quantidade boa de jogadores. Então, tô muito otimista para esse ano. Temos boas chances de fazer um ano melhor do que ano passado”, finaliza.

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!

Confira o episódio #03 do Poker de Boteco:

Author: admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.