Leonardo Verle rouba a cena e é campeão do Super High Roller do BSOP

O Super High Roller do BSOP Millions atraiu a nata do poker brasileiro. Quem quisesse adivinhar o campeão, alguns nomes certamente estariam nos palpites, como Rafael Moraes, Renan Bruschi, Pedro Garagnani, Bruno Volkmann, Pablo Brito e Belarmino de Souza. Só que não foi nenhum desses e nem outros. Quem roubou a cena foi o recreativo Leonardo Verle.

O jogador da cidade de Sorriso, Mato Grosso, foi o grande campeão do torneio e faturou a bagatela insana de R$ 787.700. Verle desbancou o field estrelado de 159 entradas do torneio com o buy-in de R$ 25.000 para fazer história. O Super High Roller de 2021 foi o torneio mais caro de todos os tempos do BSOP.

“Pra mim nem caiu a ficha ainda, mas eu tô muito feliz do que eu fiz. Eu sou um recreativo, chegar onde cheguei… eu nem ia jogar esse torneio. No avião eu comecei a pensar em jogar, mandei mensagem para o Caio (Hey), falei pra trocar 5% que eu ia engatar e ele falou ‘peguei’. Aí deu essa zebra”, disse o campeão.

LEIA MAIS: “Que Jogo É Esse?”: Alexandre Mantovani analisa fold com detalhes minuciosos sobre o adversário no Main Event

Verle começou a decisão com o quinto maior stack entre os nove finalistas, mas o equilíbrio era enorme. Os primeiros acontecimentos demonstraram isso. Após começar a FT em segundo no chip count, Caio Hey se despediu em nono. A estrela de Leonardo começou a brilhar exatamente aí, pois ele foi o algoz com uma bad beat de 88 para TT. Um 8 apareceu no turn.

O pote que acabou sendo bastante decisivo para Verle aconteceu no 5-handed. Ele eliminou Felipe Boianovsky, um dos principais nomes da FT, em um baita cooler pré-flop. Foi o clássico AA contra KK na hora certa para tomar o enorme stack do “lipe piv” de quase 50 big blinds.

Verle confirmou que o momento que imaginou que o título seria dele foi nessa hora. “Quando eu puxei aquele A5 no começo, o menino foldou o 88, eu sabia que ia pras cabeças. Eu tava tentando escapar do Felipe, mas as mãos que estavam vindo eram sempre de engate. Aí AA contra KK não tem o que fazer, é só ir para o pano”, disse.

Crédito: Luís Bertazini

O heads-up foi contra o regular Felipe Baraky, jogador conhecido no online pelo nick “Lagrecasso”. O duelo começou com uma vantagem de cerca de 15.000.000 contra 10.000.000 para Leonardo e, com o passar do tempo, ele conseguiu aumentar a diferença. A torcida dele fez bastante baralho e provocou bastante Baraky.

“É a pressão, eu sei que é difícil. Eu acho que o Felipe sentiu um pouco a pressão que os piás estavam zoando demais. Vale a pena jogar com torcida”. Foi nesse embalo que ele confirmou o título em all in pré-flop de KJ contra QT. Um T ainda apareceu no flop, mas Leo foi buscar um flush runner runner para fazer a festa final.

Leonardo agora tem dois troféus de torneios high stakes presenciais. Em 2019, ele também bateu uma forte concorrência para faturar o título do High Roller do KSOP Balneário Camboriú, mostrando que leva jeito para enfrentar esse tipo de field.

“Também em 2019 eu fiquei em sexto no High Roller do último Millions, eu me sinto melhor jogando High Roller, você tranca mais o jogo, o buy-in é mais caro e acabo jogando mais firme”, conclui o grande campeão.

Confira a premiação dos finalistas:

1º – Leonardo Verle – R$ 787.700

2º – Felipe Baraky – R$ 533.600

3º – Alberto Landgraf – R$ 355.700

4º – Marcelo Medeiros – R$ 291.400

5º – Eduardo Pires – R$ 233.800

6º – Felipe Boianovsky – R$ 181.300

7º – Lucas Rocha – R$ 134.200

8º – Andrey Luís – R$ 98.60

9º – Caio Hey – R$ 78.600

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!

Confira o episódio do Depois do River #22:

Author: admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.