Rafael Moraes puxa pote de quase 100 blinds no ME do BSOP Millions

Alguns torneios podem trazer um tipo de sorte ou relação especial para um jogador. O profissional Thiago Grigoletti, por exemplo, tem um caso de sucesso com o BSOP Millions. Dá para afirmar que o gaúcho é pé quente quando o assunto é o maior torneio de poker do país. Nesta edição de 2021, ele já confirmou um troféu e mais um prêmio importante.

O jogador do Step Team foi vice-campeão do High Roller de Pot-Limit Omaha, torneio com buy-in de R$ 8.000. Enfrentando um field complicado, Grigoletti levou R$ 145.500 após perder o heads-up para Murilo Milhomem.

Esse foi o terceiro prêmio de seis dígitos dele no BSOP Millions. Em 2015, Grigoletti fez mesa final no Main Event, ficou em quarto e faturou R$ 500.000. No ano seguinte, foi vice-campeão da edição do LAPT interno no evento e adicionou uma forra de R$ 275.180 para a carreira. Será que tem sorte no BSOP Millions o gaúcho?

“Pode se dizer que sim”, responde Grigoletti. “2015, 2016, 2019 e agora em 2021 grandes resultados. Eu faço uma preparação especial para o BSOP Millions. Um pouco antes de vir eu estudo um pouco mais forte e durante o BSOP eu procuro jogar o máximo de horas possíveis focado. Eu sei que tem muita gente, a gente gosta de ver, socializar, mas a minha estratégia é diferente. Eu jogo. Sento na mesa e jogo”, diz o sempre focado jogador do Step Team.

LEIA MAIS: “Brutallzinho” e “Brutalidade Máxima”: filho elimina o pai em momento marcante do BSOP Millions: “privilegiado”

O back-to-back no High Roller de Omaha também foi tema da conversa. Em 2019, Thiago ficou na terceira colocação e embolsou R$ 67.870. Agora ele melhorou a colocação no mesmo torneio que teve um subida de R$ 2.000 no valor do buy-in.

“O Omaha é uma modalidade que eu gosto bastante. É um jogo que ainda não foi resolvido, então ainda é muito intuitivo, lembra talvez o Hold’em de 2015, 2014, em que era por intuição e as pessoas com uma boa lógica se destacavam. Acho que é o que acontece comigo, procuro pensar bem em todas as mãos, com tudo que já estudei de Hold’em, com o pouco que já estudei de Omaha, mas me mantenho sempre estudando, e venho tendo bons resultados”, fala o craque.

Entre todos esses hits significativos e marcantes, Grigoletti elege a experiência na mesa final do BSOP Millions como a mais especial e também divisora de águas na carreira.

“Eu vinha há muito tempo procurando por um resultado muito grande e quando ele chegou foi a realização de um sonho. Foi algo que marcou minha carreira, depois dali eu comecei a colher resultados um atrás do outros. Até então eu ainda eu não tinha nenhum grande resultado”, finaliza.

Para comprar e vender seus créditos de poker, indicamos a ROYALpag.com. Compre e receba em 5 minutos!

Confira o episódio do Depois do River #22:

Author: admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.